×

Publicidade

Cidades

Prefeitura de Manaus avança na vacinação contra a Covid-19

Para a próxima faixa etária, de 45 a 49 anos, o Imuniza já registrou mais de 6 mil cadastros.

Vacinação de pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades (Foto: Lucas Andrade/Semcom)

Manaus (AM) – A Prefeitura de Manaus começou a vacinar, neste sábado (3), as pessoas de 50 a 54 anos, com diabetes mellitus, obesidade mórbida (IMC > 40) e cardiopatias. O grupo é o segundo a ser atendido na etapa atual da campanha municipal de imunização contra a Covid-19, iniciada na semana passada, com a vacinação da faixa de 55 a 59 anos.

Publicidade

“Mais uma vez avançamos na vacinação, garantindo que Manaus siga na liderança do atendimento a novos grupos e na superação da meta de vacinar 90% da população estimada de cada um dos grupos atendidos anteriormente”, observou o prefeito David Almeida. Ele assegurou que a prefeitura tem utilizado todas as ferramentas, inclusive as tecnológicas, para garantir o rápido acesso da população às vacinas disponíveis, com atendimento seguro e de acordo com a escala de prioridades baseadas no risco de exposição ao coronavírus e aos índices de adoecimento e morte dos diferentes grupos populacionais.

O prefeito destacou, ainda, que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) avalia diariamente os resultados da vacinação e replaneja a campanha de acordo com dados de cadastro do Imuniza Manaus, da demanda nos postos e do recebimento de novas doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

“Sempre que possível, antecipamos o calendário”, assegurou David, que, na última terça-feira, determinou a antecipação do atendimento do público de 55 a 59 anos com comorbidades e agora o início antecipado dos que têm entre 50 e 54 anos. “Além disso, na próxima semana, vamos avançar ainda mais, com o agendamento de quem tem entre 45 e 49 anos, com as comorbidades dessa etapa, já cadastrados no Imuniza Manaus”, garantiu.

No cadastro do Imuniza, aberto na quinta-feira da semana passada para os usuários de 18 a 59 anos, existem, até o momento, 8,8 mil pessoas registradas na faixa etária de 50 a 54 anos e 12,2 mil de 55 a 59 anos, com diabetes, obesidade ou cardiopatia, eleitas doenças prioritárias no grupo das comorbidades, pela indisponibilidade da totalidade de doses de vacina. Destes, 12 mil haviam sido vacinados até a manhã deste sábado (3).

Para a próxima faixa etária, de 45 a 49 anos, o Imuniza já registrou mais de 6 mil cadastros. O subsecretário de Gestão da Saúde da Semsa, Djalma Coelho, informou que esse grupo já começou a ser agendado e a vacinação deve começar na terça-feira (6), após o repasse, pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), de duas novas remessas de vacina, previsto para a segunda-feira (5).

Djalma ressaltou que o Imuniza segue aberto para novos cadastros, mas que o agendamento é feito apenas para os que declararam ter diabetes, obesidade ou alguma das cardiopatias listadas. Ele alertou que, mesmo com agendamento confirmado, só terá direito à vacina o usuário que comprovar ser portador das doenças informadas no cadastro. Segundo o subsecretário, já houve usuário que informou uma doença no Imuniza e foi ao posto de vacinação com laudo de outra, não contemplada no momento. “Nesse caso, a vacina não é aplicada. A comprovação é obrigatória e visa garantir justiça e transparência na aplicação dos critérios de prioridade”, explicou.

Documentos

Para ser vacinada, a pessoa que se enquadra nas condições definidas para faixa etária e doenças preexistentes deve apresentar laudo (original e cópia) que comprove a doença, além de documento de identificação com foto e CPF. Os diabéticos que não tiverem o laudo devem apresentar receita médica (original e cópia) do SUS ou da rede particular. E os que têm obesidade mórbida, podem levar declaração (original e cópia) de comprovação de IMC (índice de massa corpórea) igual ou maior que 40, que tenha sido emitida por profissional médico ou por qualquer outro profissional da saúde, de nível superior, como enfermeiro, nutricionista, farmacêutico e educador físico.

A Semsa segue com a vacinação de primeira dose dos idosos de 60 anos ou mais e dos que têm comorbidades (diabetes, obesidade ou cardiopatia) a partir de 50 anos. Além disso, segue aplicando a segunda dose aos trabalhadores da saúde e, a partir da semana que vem, aos idosos vacinados com CoronaVac, cujo intervalo entre doses é de até 28 dias.

De acordo com o Vacinômetro municipal, já foram aplicadas, em Manaus, 302 mil doses de vacina contra a Covid, das quais 246,5 mil de primeira dose e 56 mil de segunda dose. Ainda segundo a plataforma, 5,4 mil doses haviam sido aplicadas até a tarde deste sábado (3).

*Com informações da assessoria

 

Comentários

error: Content is protected !!