×

Publicidade

Polícia

Membro do PCC é executado em estacionamento de parque aquático

Edson Mauro da Silva Rebouças, 28, conhecido como “Kevinho”, era investigado por vários assassinatos na capital amazonense.

O crime ocorreu no estacionamento de um parque aquático (Foto: Divulgação)

Manaus (AM) – Edson Mauro da Silva Rebouças, 28, conhecido como “Kevinho”, foi executado com cinco tiros à queima-roupa, na tarde desta quarta-feira (21), no estacionamento de um parque aquático, na rua da Floresta, no bairro Tarumã, na Zona Oeste da capital amazonense.

Publicidade

Segundo informações da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), Edson estava com a esposa “Jaqueline” e filho de seis anos, passando o ferido de Tiradentes no parque aquático Hope Bay Park.

Quando se preparava para deixar o local com a família, dirigindo um carro Renault Kwid, de cor branca e placa QZH-8A87, Edson foi surpreendido por ocupantes de um carro táxi, modelo Prisma, de cor branca e placa PHP-5356.

Edson, vulgo “Kevinho”, , foi executado com cinco tiros dentro do próprio carro (Foto: Arte/Diário Manauara)

Os assassinos efetuaram vários tiros contra Edson e fugiram sem serem identificados. Edson morreu no local após ser atingido com quatro tiros no rosto e um no tórax. A esposa e filho da vítima não ficaram feridos na ação criminosa.

Após o crime, policiais militares das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam) apreenderam o veículo usado no assassinato no bairro Morro da Liberdade, na Zona Sul de Manaus, além de drogas e uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Uma pessoa foi qualificada no inquérito policial sobre o caso. 

Ficha criminal

“Kevinho” tinha vasta passagem pela polícia (Foto: Arte/Diário Manauara)

Conforme levantamentos da polícia, Edson integrava à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e era apontado por envolvimento em vários assassinatos, ocorridos na Zona Centro-Sul e Sul de Manaus.

Entre os casos mais recentes, Edson era investigado pelo assassinato de César Júnio Duarte de Castro, 20, conhecido como “Junior Mek”, cometido no dia 10 de abril deste ano, na comunidade Mundo Novo, no bairro Flores, na Zona Centro-Sul.

O jovem seria agenciador de garotas de programa e a companheira de Edson fazia parte da rede de serviços sexuais. Em depoimento, a mulher da vítima negou ser profissional do sexo e admitiu que o companheiro tinha ciúmes das amizades que mantinha.

Além desse crime, Edson foi apontado na morte de Thiago Salvador Reis, 27, vulgo “Thiago Magrelo”, ocorrido no dia 17 de março deste ano, na rua Marechal Deodoro, no bairro Centro, na Zona Sul. Na mesma ação, a namorada da vítima ficou ferida.

Ainda na Zona Sul da capital, Edson também é citado nas investigações pela autoria nos assassinatos de Marcelo Frederico Laborda, 51, na avenida Sete de Setembro. A vítima era pai de um traficante da cúpula da facção criminosa Família do Norte (FDN).

Outros assassinatos atribuídos por Edson são de Gildomar Corrêa da Conceição, vulgo “Gil”, e Rubem Rezende de Castro, vulgo “Rubinho”, ambos do Comando Vermelho (CV). A dupla foi executada no dia 29 de agosto de 2020, com tiros de submetralhadora entre as avenidas Airão e Constantino Nery.

Ainda segundo a polícia, Edson possui extensa ficha criminal por homicídio qualificado e receptação. Ele também comandou outras execuções na região central da capital, inclusive, na rua Lobo D’Almada. Todos os crimes estão ligados ao tráfico de drogas.

O corpo de Edson foi removido para exames de necropsia no Instituto Médico Legal (IML). As investigações estão em andamento na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Comentários

error: Content is protected !!