×

Publicidade

Polícia

IML libera corpos de 13 detentos do massacre em presídio de Manaus

As famílias estão recebendo atendimento de psicólogos e de assistentes sociais, recebendo orientação sobre a identificação e sobre a liberação dos corpos

Peritos trabalham na identificação científica para entregar os corpos às famílias – Foto: Arquivo/Diário Manauara

Manaus/AM – No início da tarde desta quarta-feira (29), o Instituto Médico Legal (IML) liberou os corpos de 13 detentos mortos na última segunda-feira (27) em presídios estaduais. Desde a madrugada de terça-feira (28), os peritos estão trabalhando na identificação científica para entregar os corpos às famílias.

Sanmya Leite, diretora do IML – Foto: Arquivo/Diário Manauara

Segundo a diretora do IML, Sanmya Leite, à medida que vão sendo concluídos os procedimentos de identificação, as famílias são informadas sobre a liberação. Ela explicou que o trabalho criterioso precisa ser feito para a identificação adequada.

“No primeiro dia, reunimos as informações necessárias para ajudar na identificação. Como as famílias estão muito abaladas, não seria viável confrontar os documentos apresentados por elas e preferimos manter o rigor científico para não haver problemas”, explicou.

A perita criminal Cláudia Saraiva explicou como funciona o processo de identificação. Inicialmente, foi realizado o exame de necropsia em todos os 40 corpos, que, posteriormente, foram alocados no caminhão frigorífico.

Ainda na necropsia foi coletada a chamada “individual cadavérica”, que foi anexada a uma Declaração de Óbito contendo informações da causa da morte. “Na terça-feira, fizemos uma classificação das digitais, num processo documental, o que permitiu agilizar o processo de identificação técnica que está ocorrendo nesta quarta-feira”, explicou a perita.

O trabalho científico é necessário para evitar que um atestado de óbito seja emitido erroneamente, trazendo transtornos futuros e comprometendo a credibilidade do IML.

Mortos

No último domingo (26) e segunda-feira, 55 detentos foram mortos em quatro unidades prisionais. Dos 15 mortos no domingo, todos foram liberados no dia seguinte (27), e dos 40 mortos na segunda-feira, um foi liberado no mesmo dia e outros 12 nesta quarta-feira.

Dos 40 mortos na segunda, em quatro casos ainda não havia sido possível a identificação por falta de Prontuário Civil.

Atendimento às famílias

Desde segunda-feira (27), as famílias estão recebendo atendimento de psicólogos e de assistentes sociais, recebendo orientação sobre a identificação e sobre a liberação dos corpos.

“Temos muitos voluntários, temos um serviço social que está fazendo o atendimento, tentando acalmar as famílias, fazendo entrevistas, pegando todas as informações para entrar em contato quando a identificação estiver concluída”, afirmou Leite. O atendimento permanecerá nos próximos dias.

Corpos liberados nesta quarta-feira (29):

– Anderson Barros de Oliveira – UPP
– Jonathan de Oliveira Procópio – IPAT
– Alison Fontoura da Silva – IPAT
– Ivanilson Calheiro Amorim – IPAT
– Thiago Moreira Lima – IPAT
– William Willer Souza de Souza – IPAT
– Thayloan da Silva Timóteo – IPAT
– Bruno Borges Gonçalves – COMPAJ/RF
– Jairo Alves de Figueiredo – CDPM 1
– Ivonei Basílio de Souza – IPAT
– André Silva Domingues – IPAT
– Rafael da Silva Ferreira – IPAT
– Orlanildo de Souza Alves – UPP

*Com informações da assessoria

Leia mais

 

Publicidade

Comentários