×

Mundo

Palhaços condenam uso de fantasias para aterrorizar pessoas

Em convenção anual na Cidade do México, eles entoaram em conjunto: "Somos palhaços, não assassinos"

Em convenção anual na Cidade do México, eles entoaram em conjunto: “Somos palhaços, não assassinos”

Centenas de palhaços profissionais da América Latina protestaram contra a recente onda global de “palhaços assustadores”, que afirmam ser prejudicial à imagem da categoria.

Publicidade

Em convenção anual na Cidade do México, eles entoaram em conjunto: “Somos palhaços, não assassinos”.
Pessoas vestidas com fantasias de palhaço assustadoras foram inicialmente vistas em agosto nos Estados Unidos e, desde então, houve relatos no Reino Unido, na Austrália e no Brasil, que se espalharam rapidamente pelas redes sociais.

Na semana passada, cinco adolescentes vestidos de palhaços foram detidos em Mexicali, no noroeste do México, por estarem assustando pessoas com tacos. Palhaços sinistros também foram vistos em Querétaro, no centro-norte do país.

A histeria recente em torno do assunto levou a polícia em vários países a intensificar patrulhas nos arredores de escolas em alguns locais, lojas de fantasia tiveram que retirar máscaras de palhaço das prateleiras.

Esse fenômeno também fez a limitar as aparições em eventos públicos de seu mascote, Ronald McDonald.

Insegurança

Mas quem ganha a vida profissionalmente como palhaço decidiu combater esta onda, esperando reverter a percepção negativa criada em torno da atividade.”Há mais bem do que mal no mundo. Palhaços nos mostram que somos boas pessoas, e buscamos fazer nosso trabalho da melhor forma possível”, disse o palhaço Hoi Hoi à agência de notícias Reuters.

 

Comentários