×

Publicidade

Política

AM: Dermilson Chagas fala em Plenário sobre a situação dos educadores

O parlamentar defende o pagamento da data-base, o fornecimento de materiais para o trabalho remoto e a vacinação da categoria

Dermilson Chagas, deputado estadual pelo Podemos (Foto: Márcio Gleyson)

Manaus (AM) – Nesta terça-feira (30), o deputado estadual Dermilson Chagas (Podemos) levou, por meio de Cessão de Tempo, os pleitos dos professores e pedagogos para o Plenário Ruy Araújo. A categoria foi ao plenário a convite do deputado para esclarecer aos parlamentares da Casa que a maioria dos seus pedidos não vêm sendo atendidos pelo Governo do Amazonas, o que impossibilita os profissionais de continuarem trabalhando.
 
A Cessão de Tempo contou com a presença do coordenador geral de Comunicação do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom/Sindical), Lambert Melo, que ressaltou que a categoria está há dois anos sem reajuste salarial e que o Governo do Estado não paga a sua data-base, que é assegurada por lei. Outro pedido que vem sendo ignorado pelo Executivo Estadual é a inclusão dos professores no grupo de prioritários de vacinação.
 
O representante da entidade também ressaltou que o Governo do Amazonas não está fornecendo condições materiais para que os professores realizem o trabalho remoto desde que iniciou a pandemia, obrigando os professores a custear o pagamento de computadores, celulares, pacotes de internet, além de contas de energia, cujos valores aumentaram devido ao número de horas utilizando equipamentos para lecionar de forma remota.
 
Além de apoiar os professores e pedagogos em suas reivindicações, o deputado Dermilson Chagas também informou, durante sua fala no Plenário, que o Governo do Estado tem de solucionar o problema de acesso às aulas remotas que muito alunos têm na capital e sobretudo no interior, pois há uma grande parcela de estudantes que não possui computador, celular ou pacote de internet em suas residências.
 
O parlamentar enfatizou que, infelizmente, a pandemia criou situações que obrigou todos os setores, inclusive o da Educação, de enfrentar esse momento de forma remota, porém destacou que é necessário refletir que há crianças e adolescentes sem acesso a essa nova forma de estudo.
 
“Muitos pais estão reclamando que seus filhos não estão tendo acesso às aulas remotas, e eu fico preocupado com a qualidade de ensino, com a formação que os nossos estudantes terão e com as provas que avaliam o nível de conhecimento dos nossos alunos, como a do Enem, que virão mais à frente. E aqui fica o meu apelo para que a Secretaria de Educação procure saber quantos estudantes estão tendo realmente acesso às aulas, porque é preciso mensurar o número real de alunos que estão tendo essa dificuldade, especialmente porque já estamos no mês de março e a pandemia não vai acabar agora”, disse Chagas.
 
Categoria pode entrar em greve
 
O representante da Asprom/Sindical, Lambert Melo, agradeceu a Cessão de Tempo e o apoio do deputado Dermilson Chagas e anunciou que, amanhã (quarta-feira – 31/03), a categoria se reunirá em Assembleia Geral Extraordinária para aprovar o estado de greve e, caso não tenha seus pleitos atendidos, irá realizar outra Assembleia Geral para deflagrar greve. Segundo Melo, a categoria vem há mais de um ano encaminhando tanto à Secretaria de Educação quanto ao governador Wilson Lima diversos documentos solicitando todas essas reivindicações, mas nunca recebeu resposta.
 
“Agradecemos ao deputado Dermilson Chagas ter conseguido essa Cessão de Tempo para que pudéssemos dialogar com os deputados, sensibilizá-los para que eles consigam intermediar, junto ao governador, uma audiência para que a gente possa dialogar, porque nós não queremos radicalismo, por isso estamos buscando o diálogo, antes de qualquer radicalização”.

Publicidade

*Com informações da assessoria

Comentários

error: Content is protected !!