×

Publicidade

Polícia

Procurado pela morte de cabeleireiro é preso em Santarém, no Pará

O crime ocorreu no dia 23 de janeiro deste ano, em um quarto do Hotel Sun, na rua Lima Bacuri, no bairro Centro, na Zona Sul de Manaus.

Jericó é investigado por matar um cabeleireiro em quarto de hotel, no Centro de Manaus (Foto: Divulgação)

Manaus (AM) – Alexandre Oliveira de Souza, 19, conhecido como “Jericó”, foi preso por policiais civis da 16ª Seccional Urbana de Santarém, no estado do Pará. Ele era investigado por matar a golpes de faca o cabeleireiro Juvenal Silveira Sobrinho, 33, no dia 23 de janeiro deste ano, em um quarto do Hotel Sun, na rua Lima Bacuri, no bairro Centro, na Zona Sul de Manaus.

Publicidade

De acordo com as investigações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Juvenal chegou ao por volta das 21h30 de sexta-feira (22). Ele saiu e retornou para o quarto por volta das 2h, acompanhado de “Jericó”, que trajava camisa vermelha.

Conforme as imagens de câmeras de segurança da hospedaria, o hóspede deixa o local e retorna trajando uma camisa preta, onde passa por alguns minutos no quarto e depois abandona o hotel.

Juvenal foi morto a golpes de faca (Foto: Diário Manauara)

Por volta das 7h30, uma camareira se depara com sangue saindo do quarto. Ao entrar, a funcionária encontra o corpo de Juvenal no banheiro.

Durante as investigações, a equipe da DEHS descobriu que o suspeito do crime circulava constantemente no Centro da capital, no entanto, sem endereço fixo.

Com avanço do trabalho investigativo e divulgação da imagem do principal suspeito do crime, a Polícia Civil do Pará conseguiu localizar o procurado, que para não ser identificado, se passava usando os nomes dos quatro irmãos.

Jericó foi preso em Santarém, no Pará (Foto: Divulgação/PC-AM)

Em voo comercial, uma equipe da DEHS seguiu para cumprir o mandado de prisão na cidade de Santarém. “Jericó” deve chegar na capital amazonense ainda nesta segunda-feira (22).

A motivação do assassinato ainda não foi esclarecida. A DEHS investiga se houve motivação homofóbica ou outra relação para o crime.

Comentários

error: Content is protected !!