×

Publicidade

Polícia

Mulher é presa por mandar matar cunhada para se vingar da sogra, em Manaus

Thais confessou o crime por ter raiva da sogra, mãe de Luana (Foto: Diário Manauara)

 

Manaus/AM – Em menos de 12 horas, a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) desvendou o assassinato da estudante Luana Freire de Souza, de 19 anos, que foi encontrada morta com seis facadas na manhã desta segunda-feira (3), dentro da própria casa, na rua C, conjunto Ouro Verde, bairro Coroado, Zona Leste de Manaus. A cunhada da vítima,Thais Rejane Barbosa Alves, de 26 anos, foi presa em flagrante por homicídio qualificado. Ela confessou que o crime foi motivado por vingança.

Logo após os trabalhos da perícia criminal do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), o delegado Paulo César Ferreira, plantonista da DEHS, revelou que já tinha pistas da autoria do assassinato, mas preferiu não revelar o nome para não atrapalhar o andamento das investigações.

Na ocasião, o delegado chegou a afirmar que o assassino era uma pessoa próxima da vítima. Depois de ouvir os familiares e testemunhas, a polícia chegou até Thais, que confessou ser mandante do crime que planejava há dois meses.

Vingança

 

A equipe da DEHS recuperou R$ 7.874,00 que foi roubado após o crime (Foto: Diário Manauara)

 

Em depoimento à polícia, Thais disse que tinha raiva da sogra, que é mãe de Luana e, por isso, mandou matar a cunhada como forma de vingança.

O objetivo dela, segundo o delegado Paulo César Ferreira, era se vingar da sogra. O assassinato foi arquitetado somente para atingir a mãe de Luana.

O dinheiro que foi levado da residência, mais de R$ 4 mil, foi encontrado dentro da bolsa de Thais. Ao total, a polícia encontrou R$ 7.874, 00 na bolsa da suspeita.

A mãe da jovem assassinada é tesoureira de uma igreja adventista. Ela guardava o montante em casa, que é alugada para a família. Thais revelou que contratou um homem para matar Luana.

Ela contou que saiu da residência para levar a filha ao posto de vacinação e passou as condenadas ao assassino. O criminoso, de aproximadamente 20 anos, não teve o nome divulgado para não atrapalhar as investigações.

Thais segue presa em uma das carceragens da DEHS.

Publicidade

Comentários