×

Polícia

Homem se entrega à polícia após fazer família refém por mais de 15 horas

Com uma faca, “Isaac doido” ameaçava matar a ex-esposa e cometer suicídio em uma casa na Zona Norte de Manaus

A rua foi fechada por viaturas (Foto: Divulgação)

Manaus (AM) – Após manter a ex-esposa e seus dois filhos pequenos reféns, Isaac Souza Martins, 37, conhecido como “Isaac doido”, entregou-se a polícia no início da tarde desta segunda-feira (17). A polícia negociou por quase 15 horas.

Publicidade

O fato aconteceu por volta das 22h de domingo (16), em uma casa na rua 15, no conjunto Amazonino Mendes, popularmente chamado “Mutirão”, no bairro Novo Aleixo, na Zona Norte de Manaus.

Segundo a polícia, Rosana de Almeida Fonseca, 40, estava sob medida protetiva, solicitada duas vezes junto à Justiça por conta das agressões de Isaac. O casal iniciou uma discussão e Rosana conseguiu acionar a Polícia Militar.

A ação envolveu cerca de 50 policiais militares do Comando de Operações Especiais (COE) e Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam). A rua foi fechada por viaturas para que os policiais pudessem atuar na negociação.

Isaac chegou a colocar uma geladeira na porta, então, única entrada para o imóvel. Com uma faca, o homem ameaçava matar a mulher e, depois, cometer suicídio.

Após negociações com equipes especializadas da Polícia Militar, a família foi libertada. Rosa e os filhos de 7 e 8 anos não foram feridos.

Já Isaac foi conduzido para os procedimentos cabíveis na delegacia. O motivo que levou Isaac as ações ainda são desconhecidas.

“Isaac doido”

Isaac doido (Foto: Divulgação)

De acordo com a polícia, Isaac é ex-presidiário com passagens pelos crimes de homicídio, violência doméstica e feminicídio.

Em 2005, Isaac matou em acerto de contas dois homens que estavam presos preventivamente no extinto presídio Raimundo Vidal Pessoal, no Centro de Manaus.

Hellesson Guimaraes de Lima foi morto com 73 estocadas, enquanto Robson Farias de Vasconcelos recebeu 99 golpes de estoque. À época, Isaac contou com ajuda de Cristiano Pinho de Almeida e Francisco Candido de Souza.

Em outro histórico criminal, Isaac teria sido um dos mandantes do massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) em 1º de janeiro de 2017. Na ocasião, 56 detentos morreram depois de uma rebelião que durou 17 horas.

Comentários