×

Publicidade

Polícia

Homem que matou policial com foice é preso no Distrito Federal

Criminoso também é acusado de cometer vários estupros.

Policial foi morto com golpe de foice (Foto: Divulgação)

O homem suspeito de matar um policial federal aposentado com golpe de foice, em fevereiro deste ano, no distrito de Serra Bonita, município de Buritis (MG), foi preso neste sábado (14) pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). A ação que apurou o assassinato, batizada de Operação Dragão Vermelho, ocorreu em Alexânia (GO). O preso também cometeu diversos crimes no Distrito Federal, como estupro e roubo.

Publicidade

A investigação, realizada durante seis meses, obteve evidências consistentes de que o autor, mesmo antes do latrocínio do PF, utilizava documentos falsos para esconder sua condição de foragido da Justiça.

Os policiais também descobriram o modus operandi do assassino. Ele se aproximava das vítimas com a intenção de trabalhar, geralmente em chácaras do DF, GO e MG, mas aos poucos ia revelando sua personalidade violenta, ostentando armas de fogo. Segundo a PCMG, o homem é um criminoso em série.

Os investigadores conseguiram refazer os passos do homem no assassinato de Moacyr Ferreira da Silva, 62, policial federal aposentado. A polícia apurou que o autor ofereceu seus serviços à vítima em 5 de fevereiro. O trabalho consistia na construção de uma cerca. Na data combinada, em 8 de fevereiro, o autor apresentou-se sorridente e solícito.

O policial federal aposentado andava sempre armado. Por volta de 11h, saiu do local próximo à cerca e foi almoçar com a esposa. Depois, voltou trazendo uma marmita ao novo funcionário, acreditando que havia achado um bom ajudante.

Ao chegar com a refeição, Silva foi surpreendido por golpe de foice, sem qualquer chance de defesa. A marmita permaneceu no local, intacta. Em seguida, o autor fugiu na caminhonete da vítima, levando outros pertences do agente como o celular e a arma de fogo, uma pistola 9mm.

Horas depois, o veículo foi abandonado incendiado na cidade de Brazlândia. O autor se desfez do celular, mas teria permanecido com a arma de fogo. Na casa do autor, os policiais encontraram diversos objetos pessoais e uma arma de fogo utilizada em outros crimes, de calibre .44.

A identidade do assassino foi confirmada por laudo papiloscópico realizado em outra ocorrência de furto registrada no DF, que continha os mesmos dados do suspeito da investigação sobre os desaparecidos de Goiás.

“A cooperação entre as policiais civis do Distrito Federal, Goiás e Tocantins foi imprescindível para obtenção das informações que subsidiam a indicação da autoria”, explicou a delegada Gabriela Mol Camara da Costa.

Ficha criminal

O autor apresenta registros criminais gravíssimos, como extorsão com emprego de arma de fogo, condenações por estupros e roubo no DF, homicídio praticado durante fuga de presídio no estado do Tocantins, furtos, lesões corporais, uso de documento falso e a atual investigação pelo crime de latrocínio, que lhe rendeu a mais recente ordem de prisão.

O preso será recambiado ao Sistema Prisional Mineiro, na cidade de Unaí, para que responda às ações penais decorrentes dos crimes praticados.

Dragão Vermelho

O nome da operação faz referência ao filme que trata do famoso serial killer Hannibal Lecter e a capacidade da polícia de compreender sua mente habilidosa para desvendar seus crimes.

Comentários

error: O conteúdo está protegido !!