×

Publicidade

Polícia

Após palestra, menina chora e denuncia pai por estupro no Amazonas

Vítima já sofria com os abusos há um tempo, mas só conseguiu falar sobre o caso com os professores durante palestras sobre abuso sexual e drogas na escola

Merendeiro e pastor de igreja foi preso acusado de estuprar a filha, de 12 anos (Foto: Divulgação/PC-AM)

Manaus/AM – Um homem de 37 anos foi preso na tarde de sexta-feira (20), acusado de estuprar a própria filha, uma menina de 12 anos. O fato chegou ao conhecimento da polícia após a vítima chorar durante palestra sobre drogas e abuso sexual na Escola Estadual Thomé Ferreira Santiago, situada no município de Careiro Castanho (a 88 quilômetros de Manaus).

Na ocasião, o corpo docente da escola e uma psicóloga conversaram com a menina. Em depoimento, com crises de choro, a vítima relatou que era abusada sexualmente pelo pai, que atua na mesma unidade de ensino como merendeiro.

Segundo relato da vítima, o último abuso sexual ocorreu no dia 12 de setembro deste ano, por volta das 12h45, na residência onde mora, na Rua Marimba, no bairro Vista Alegre, no Careiro Castanho.

“Eu era obrigada a manter relações sexuais quase que diariamente com o meu pai, sempre na ausência da minha madrasta. Por conta dos estupros, cheguei a cortar os pulsos e ter rendimentos baixos na escola”, contou a vítima.

Após receber a denúncia do Conselho Tutelar, sobre o Crime de Estupro de Vulnerável, o delegado Rudival Magno, titular da 34ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Careiro Castanho, solicitou exames de conjunção carnal no Hospital Deoclécio dos Santos, que constatou a existência recente do abuso sexual.

Com a confirmação do crime de estupro, foi requisitada pelo titular da unidade policial a prisão preventiva do autor, que foi atendida pela Justiça. Os policiais civis Marcelo e Oberdan, investigadores da 34ª DIP, deram o cumprimento ao mandado de prisão do autor.

Durante o interrogatório, o acusado, que também é pastor da Igreja Pentecostal da Terra para o Céu, resolveu permanecer calado e responder somente em juízo.

Publicidade

Comentários