×

CidadesPolícia

Técnico de rede morre com tiro no peito durante tiroteio entre assaltantes e policiais

Heraldo morreu com um tiro no peito durante troca de tiros entre assaltantes e policiais militares- foto: Arquivo pessoal

Heraldo morreu com um tiro no peito durante troca de tiros entre assaltantes e policiais militares- foto: Arquivo pessoal

O técnico em rede de Internet Heraldo de Azevedo Júnior, 33, morreu com um tiro no peito, na tarde de quinta-feira (1º), durante um tiroteio entre policiais militares e dois assaltantes. O crime ocorreu por volta das 14h, na Rua Belém, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus.

Publicidade

De acordo com a polícia, um empresário, que não teve o nome divulgado, saiu da agência bancária Bradesco, na Avenida Senador Álvaro Maia (conhecida como Boulevard) com certa quantia em dinheiro, quando foi abordado por dois assaltantes que anunciaram o assalto.

Na ocasião, uma guarnição da Polícia Militar percebeu a ação e, ao se preparar para a abordagem aos suspeitos os policiais foram recebidos a tiros. No tiroteio, dois assaltantes foram baleados, além de Heraldo, que passava de motocicleta.

Heraldo e os dois assaltantes foram levados por ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, Zona Centro-Sul. Heraldo não resistiu aos ferimentos durante o procedimento cirúrgico. Meia hora depois, um dos assaltantes, de nome não informado, morreu.

Os corpos das vítimas foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte da capital. A irmã de Heraldo, Helen Sandra Costa de Azevedo, disse que estava em casa quando foram informados que o técnico de rede havia sido baleado.

“Assim que recebemos a notícia fomos para o local do fato, mas o Heraldo já havia sido levado para o hospital, mas ao chegarmos à unidade hospitalar, a equipe médica informou que Heraldo não havia resistido ao ferimento”, disse a irmã da vítima.

A irmã da vítima disse ainda que a empresa NET solicitou um exame balístico para confirmar de qual arma partiu o tiro que matou a vítima.

Heraldo atuava na companhia do ramo de TV a cabo e Inteenet há 13 anos. Ele era casado e deixou dois filhos, sendo um de quatro e outro de 11 anos. A família informou que o velório seria em uma igreja evangélicalocalizada na Comunidade Mundo Novo, bairro Cidade Nova, Zona Norte.

O Diário Manauara tentou ouvir um familiar do suposto assaltante, mas ele se limitou em dar declarações sobre o envolvimento da vítima no assalto.

O caso foi registrado no 1ºDistrito Integrado de Polícia (DIP).

Comentários