×

Polícia

Mulher é morta a tiros em área indígena, no bairro Distrito Industrial 2

Odith foi atingida com oito tiros na noite de sexta-feira (14). A polícia investiga o crime relacionado ao tráfico de drogas ou disputa por terras

Odith Cristina Santos, 39, foi assassinada com oito tiros (Foto: Lucas Pereira/DM)

Manaus/AM – A líder comunitária Odith Cristina Santos, 39, foi executada com oito tiros, na noite de sexta-feira (14), na invasão indígena “Yawaritê Ipixuna”, situada na Avenida Palmeira do Miriti, no bairro Distrito Industrial 2, na Zona Leste de Manaus. A polícia trata o assassinato relacionado ao tráfico de drogas.

Segundo a polícia, o crime ocorreu por volta das 22h. Odith estava em casa no bairro Gilberto Mestrinho, na Zona Leste, quando recebeu uma ligação para encontrar com três homens na área indígena.

Ao chegar, Odith estacionou o carro que dirigia na entrada da comunidade e seguiu acompanhada de um suposto amigo para encontrar com os homens. Em uma área escura, Odith foi surpreendida por um dos homens que efetuou os disparos à queima-roupa.

Os criminosos, ainda não identificados, fugiram levando a chave do carro da vítima e tomaram rumo ignorado. A mulher não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Conforme levantamentos da polícia, Odith negociava terrenos da área indígena com doações para pessoas sem moradia. Por conta disso, um grupo de pessoas que vendia terrenos passou a ameaçar Odith, que por sua vez não se intimidou.

Outra versão apresentada por alguns moradores, que preferiram não revelar os nomes por medo de represálias, afirmaram que Odith não só doava terrenos como também vendia drogas na comunidade para um traficante conhecido apenas como “Marcelinho”, da facção criminosa Família do Norte (FDN).

A irmã da vítima, Vandeia Barbosa da Silva, 43, disse que desconhece a motivação do crime. Segundo ela, Odith saiu de casa informando para sua companheira que iria encontrar com algumas pessoas para detalhar sobre uma festa junina que estava organizando.

“Eu falava pouco com a minha irmã, mas quando conversava, ela explicava que estava participando de ensaios de uma quadrilha para os festejos juninos. Eu desconheço a motivação quem possa ter feito isso com a minha irmã”, explicou.

O corpo de Odith foi removido para o IML (Foto: Lucas Pereira/DM)

A perícia criminal do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) confirmou que Odith foi atingida com oito tiros, sendo nas costas e no tórax. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

A polícia trabalha com duas hipóteses para o crime, sendo por disputa de terras e outra por possível envolvimento da vítima com o tráfico de drogas. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) abriu inquérito para investigar as circunstâncias do assassinato.

Publicidade

Comentários