×

Publicidade

Polícia

Morte de membro do CV gera onda de violência e incêndios em Manaus

Sequência de atentados seria retaliação a morte do traficante Erick Batista Costa, 30, o “Dadinho”, durante intervenção policial.

Micro-ônibus incendiado por membros do CV (Foto: Divulgação)

Manaus (AM) – Uma onda de violência sem precedentes deixou a população de Manaus apavorada. No início da madrugada deste domingo (6), sete ônibus do transporte públicos foram incendiados nas Zonas Norte, Leste e Oeste da capital.

Publicidade

Também foram alvos de ataques três viaturas da Polícia Militar, uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e três micro-ônibus, sendo um do transporte alternativo e dois especial, além de uma retroescavadeira e pontos de ônibus.

Os criminosos espalharam o pavor nos municípios de Parintins e Careiro da Castanho, respectivamente, 369 e 88 quilômetros de Manaus. O policiamento foi reforçado no interior e na região metropolitana.

Segundo o secretário da SSP-AM, coronel Louismar Bonates, os ataques foram motivados em razão da morte do traficante Erick Batista Costa, 30, conhecido como “Dadinho”, durante uma intervenção policial na rua Newton Vieiralves (antiga rua 96), no bairro Novo Aleixo, na Zona Norte.

“Os policiais militares das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam) receberem denúncia que homens estavam armados em uma estância, e chagando ao local, a equipe foi recebida por disparos de arma de fogo”, disse.

Erick foi morto após confronto com a Rocam (Foto: Divulgação)

Conforme o levantamento realizado pelo serviço de inteligência da SSP-AM, “Dadinho” era membro do conselho da facção criminosa Comando Vermelho (CV) e as ordens para ataque partiu de presídio. Bonates informou que os responsáveis serão transferidos para unidades prisionais de segurança máxima.

“Em cima desse evento crítico que está acontecendo na cidade, montamos um gabinete de crise com as Polícias Civil e Militar. Vamos tomar todas as providências para acabar com essa brincadeira na cidade. A polícia será extremamente rigorosa com essas pessoas. Vagabundos de esquina se aproveitaram do momento para fazer arruaça, mas o cidadão de bem pode denunciar ao 181. Quem for localizado por essa ordem, será solicitado a transferência para presídio federal”, finalizou.

Por conta da violência, a frota de ônibus foi recolhida para as garagens. Nesses locais, foram colocadas viaturas da Polícia Militar para garantir a segurança. Nenhum funcionário das empresas de transporte ficou ferido.

Nota

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) repudia os atos de vandalismo ocorridos nas primeiras horas deste domingo (6), em que 7 ônibus do transporte coletivo foram incendiados dentre outros atos violentos.

A violência das ações, aparentemente de caráter terrorista, causou pânico nos operadores do serviço, pois há relatos de grupos encapuzados e armados praticando tais atos, sendo que, por isso, toda a frota foi recolhida.

Atos dessa natureza, além de serem crimes de dano e ilícitos civis, visam disseminar o medo e inviabilizam o serviço essencial.
Diante desse cenário, os maiores prejudicados são o usuário do transporte coletivo e os trabalhadores do sistema de transporte cujas vidas estão em risco.

Por fim, pedimos às autoridades públicas competentes imediatas e urgentes providências para a identificação dos criminosos e para a cessação da onda de violência a fim de que seja viabilizada a normalização do serviço essencial de transporte coletivo.

Outros ataques

Outra sequência de ataques foi registrada em três agências bancárias. O primeiro aconteceu na rua Amazonas, no bairro Compensa, na Zona Oeste, onde uma unidade do Banco Bradesco foi incendiada.

Vídeo

Em ato contínuo da violência, uma agência da Caixa Econômica Federal, na avenida General Rodrigo Otávio, no bairro Japiim, na Zona Sul, foi incendiada por integrantes do Comando Vermelho.

Os ataques continuaram se espalhando pela cidade. Dessa vez, uma agência do Banco Santander, na avenida Djalma Batista, no bairro São Geraldo, na Zona Centro-Sul, também foi alvo de incêndio criminoso.

O quarto ataque em série ocorreu nesta tarde. Uma agência do Banco do Brasil, na rua Guilherme Moreira, no bairro Centro, na Zona Sul de Manaus, também foi alvo de vandalismo.

Houve também registros na avenida Autaz Mirim, no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste, e avenida Brasil, no bairro Compensa, na Zona Oeste. As vias foram bloqueadas com pneus incendiados, sem maiores proporções de danos.

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) foram acionadas para as 17 ocorrências desde o início da madrugada.

Prisões

Suspeitos de vandalismo presos pela polícia (Foto: Divulgação)

A SSP-AM informou que 14 suspeitos envolvidos na onda de vandalismo na capital e no interior foram presos. Dentre eles, um dos líderes desses ataques com característica de terrorismo.

A cúpula da segurança afirmou, ainda que os mandantes já foram identificados e outras prisões deverão acontecer ao longo das ações de força-tarefa desencadeada pelo gabinete de crise.

Confira mais imagens do vandalismo:

*Matéria atualizada às 19h03

Comentários

error: Content is protected !!