×

Publicidade

Polícia

Homem que matou namorada grávida com 24 facadas é preso em Manaus

Fabrício Moura de Queiroz, 30, foi preso na manhã de sexta-feira (23), por volta das 6h, pela equipe de investigação do 19° DIP.

Fabrício Moura de Queiroz, 30, matou a namorada com 24 facadas (Foto: Diário Manauara)

Manaus/AM – Fabrício Moura de Queiroz, 30, que estava sendo procurado por matar com 24 facadas a namorada dele, Suely Pereira dos Santos, 43, foi preso e apresentado à imprensa na manhã desta segunda-feira (26), no prédio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A vítima estava grávida do autor.

O investigado foi preso pela equipe de investigação do 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP), na manhã de sexta-feira (23), por volta das 6h, em cumprimento de mandado de prisão preventiva por homicídio. A ordem judicial foi expedida no dia 6 de fevereiro deste ano, pelo juiz Mauro Moraes Antony, da 3ª Vara do Tribunal do Júri.

Suely Pereira dos Santos, 43, que estava grávida, foi morta com 24 facadas (Foto: Lucas Pereira)

Fabrício estava escondido em uma casa na Rua Alfredo Nascimento, no bairro Nova Esperança, na Zona Oeste de Manaus. As investigações apontam Fabrício pelo assassinato da namorada Suely com várias facadas.

O crime ocorreu no dia 28 de outubro de 2018, em uma área externa do motel Ce Ki Sabe, na Avenida André Araújo, no bairro Aleixo, na Zona Centro-Sul da capital. Imagens de câmeras de segurança do local registraram Fabrício e a namorada momentos antes do crime.

Paulo Martins, delegado titular da DEHS (Foto: Diário Manauara)

De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, o corpo de Suely foi encontrado por funcionários do motel. Após o crime, as investigações constataram que a vítima estava grávida e, que o crime estaria relacionado a rejeição da gravidez por parte do autor.

“Fabrício cometeu um crime bárbaro por não aceitar a gravidez da namorada. Por ser casado, ele se desentendeu com a vítima em um motel e a matou com 24 facadas. Após o crime, ele contou com apoio da família, deixou a barba e os cabelos crescerem para despistar a polícia”, disse o delegado Paulo Martins.

O delegado Paulo Martins informou ainda que Fabrício alugou uma casa de um policial civil, que ao identificar que o inquilino era procurado acionou a polícia. Em depoimento, Fabrício alegou que a vítima ameaçava seus filhos e o perseguia. No encontro combinado, ele alegou que Suely estava em posse de uma faca.

Fabrício disse que perdeu a noção de tudo após Suely ameaçar seus filhos (Foto: Diário Manauara)

Durante coletiva de imprensa, Fabrício assumiu que matou Suely por estar sendo perseguido. Ele declarou que conheceu a vítima dentro de um ônibus do transporte coletivo e que manteve o relacionamento por um mês e dez dias.

“Eu acredito que perdi a noção de tudo depois que ela passou ameaçar os meus filhos e ficar me perseguindo. Ela mandava fotos dos meus filhos e falava que eu iria me arrepender. Eu estou arrependido do crime que cometi e não sabia que ela estava grávida”, declarou.

Fabrício foi indiciado por homicídio. Ele ficará à disposição da Justiça no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), no quilômetro 8 da BR-174, que liga Manaus a Boa Vista (RR).

Publicidade

Comentários