×

Publicidade

Polícia

Câmera de segurança flagra assassinato de homem na Zona Centro-Sul de Manaus

Wesley estava sentado na calçada, quando foi surpreendido a tiros (Foto: Lucas Pereira/DM)

 

Wesley Coelho de Oliveira, 25, foi executado com 18 tiros na noite desta terça-feira (3), enquanto falava ao celular sentado em uma calçada, na Rua Brasil, conjunto Parque das Nações, bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus. A execução do homem foi praticada por quatro homens e registrada por câmera de segurança de uma residência.

O crime ocorreu por volta das 19h55. Wesley estava em frente a uma casa onde morava alugado, há pouco mais de um mês, quando um veículo modelo Honda/Civic, cor preta, placa não reconhecida, parou no local. Quatro homens desceram do carro e efetuaram vários disparos à queima-roupa, sendo a maioria na cabeça da vítima.

 

Câmera de segurança registra homem sendo assassinado por quarteto (Foto: Reprodução/Vídeo)

 

Toda a ação dos pistoleiros foi gravada pelo circuito externo de segurança de um imóvel próximo ao local do crime. Nas imagens é possível ver pelo menos quatro homens executando a vítima que não teve chance de defesa. O quarteto fugiu sem ser identificado.

Wesley foi executado com 18 tiros, sendo a maioria na cabeça (Foto: Lucas Pereira/DM)

 

De acordo com o tenente Sérgio Oliveira, da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas Wesley já estava morto. As equipes de patrulhamento da área ainda fizeram buscas pelos suspeitos, mas sem sucesso.

“Recebemos a informação via 190 que um homem havia sido alvejado a tiros. No local constamos a veracidade do informante. Tivemos acesso nas imagens, mas não foi possível identificar a placa do veículo usado no crime. A suspeita é que o crime tenha sido um acerto de contas relacionado ao tráfico de drogas. Wesley já acumulava passagens por receptação e roubo

Assista o momento em que grupo executa homem com 18 tiros

Ao Diário Manauara, Adonai Freitas de Oliveira, 63, disse que o neto já tinha passagem por roubo e cumpriu pena por dois anos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). Welesy morava há dois meses em uma quitinete alugada.

O corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML). O caso será investigado pela equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Publicidade

Comentários