×

País

Rebelião de jovens infratores deixa três mortos e oito feridos em Pernambuco

A rebelião começou por volta de 00h20 e só foi completamente controlada às 4h - foto: divulgação

A rebelião começou por volta de 00h20 e só foi completamente controlada às 4h – foto: divulgação

Três adolescentes morreram em uma rebelião ocorrida no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), no município de Timbaúba, Zona da Mata Norte de Pernambuco, na madrugada de hoje (25).

Publicidade

De acordo com informações do 2º Batalhão de Polícia Militar (BPM) – Pelotão de Timbaúba, que atendeu a ocorrência, a rebelião começou por volta de 00h20 e só foi completamente controlada às 4h. Durante a madrugada, os internos colocaram fogo em colchões. Nesta manhã policiais militares ainda estavam no local para acompanhar a remoção dos corpos dos internos.

Outros oito jovens ficaram feridos por queimaduras ou inalação de fumaça tóxica, de acordo com a PM. Sete deles foram atendidos no Hospital Municipal de Timbaúba. O oitavo teve ferimentos graves e foi levado ao Hospital da Restauração (HR), no Recife.

De acordo com a imprensa local, a unidade ficou bastante danificada com o incêndio. O Corpo de Bombeiros atuou na madrugada para controlar o fogo no local.

O Case de Timbaúba tem capacidade para 60 adolescentes. Antes da rebelião, estava com 57 jovens. A Funase informou que dois dos adolescentes mortos tinham 17 anos, e o terceiro tinha 18. Segundo a fundação, eles foram vítimas de golpes de arma artesanal e pedradas. “Brigas entre grupos rivais causaram a rebelião e as mortes”, diz a nota divulgada pela instituição.

Os corpos seguiram para o Instituto Médico Legal (IML) do Recife. Ao contrário do que informou o 2º Batalhão da Polícia Militar de Timbaúba, a Funase informou que quatro jovens ficaram feridos com queimaduras – três com ferimentos leves.

Dezesseis adolescentes acusados pelas mortes e por danos ao patrimônio foram conduzidos à Delegacia de Timbaúba, que dará início às investigações. A Funase informa que abriu sindicância para apurar a rebelião, e que o prazo para conclusão do procedimento é de 20 dias, podendo ser prorrogado por igual período. A fundação informou ainda que está prestando assistência às famílias das vítimas, inclusive psicológica.

Fuga

No dia 9 de setembro, o Case de Timbaúba registrou a fuga de 12 adolescentes depois de outra rebelião com incêndio. Na ocasião, a Funase informou que o motim começou por conflitos entre grupos rivais.

Fonte: Agência Brasil

Comentários