×

Notícias

Governo conclui 1ª fase da certificação dos cadastrados no Prosamin+

O processo é uma das principais etapas do programa, gerenciado pela UGPE

Entre o dia 6 de dezembro e ontem (20), foram certificados 583 imóveis na área (Foto: Tiago Corrêa/UGPE)

Manaus (AM) – O Governo do Amazonas concluiu a primeira fase da certificação dos imóveis cadastrados pelo Programa Social e Ambiental de Manaus e Interior (Prosamin+) na comunidade da Sharp, no bairro Armando Mendes, zona leste da capital, etapa importante para o plano de reassentamento das famílias. De acordo com a Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), que gerencia o programa, entre o dia 6 de dezembro e ontem (20), foram certificados 583 imóveis na área.

Publicidade

(Foto: Tiago Corrêa/UGPE)

Nessa etapa, os proprietários dos imóveis cadastrados em 2020 recebem o documento que será utilizado no seu processo de reassentamento, junto à Superintendência de Habitação do Amazonas (Suhab).  “O Prosamin+ trabalha com soluções de reposição de moradia que vão desde apartamentos construídos pelo programa a indenizações, bônus ou auxílio moradia, definidos a partir do perfil do imóvel e da família cadastrados e identificados previamente pela UGPE e depois analisados pela Suhab”, destacou o coordenador executivo da UGPE, Marcellus Campêlo.

Segundo ele, as equipes da UGPE trabalham com celeridade na área.  “É uma determinação do governador Wilson Lima que atuemos na maior celeridade possível, visando reassentar essas famílias de áreas de risco e sujeitas às alagações”, afirmou Campêlo.

A primeira fase da certificação na Comunidade da Sharp inseriu os imóveis sob a área de intervenção das frentes quatro e cinco de obras. A comunidade será a maior área de reassentamento do programa, com 2.123 imóveis previstos para serem reassentados. São moradias localizadas em áreas de risco sujeitas a alagações ou dentro da envoltória de intervenção de obras.

A moradora Deise Lima, que reside na área há 18 anos e que foi contemplada nesta primeira fase, ressalta que receber a certificação é um alívio para as famílias que convivem com alagação há muito tempo. “Esperamos há bastante tempo por isso. Não só eu, que aguardo há 18 anos, como tem pessoas que esperam há mais tempo. O sentimento, neste momento, é de felicidade”, afirmou a moradora.

Vando Gomes Falcão, que também reside na comunidade da Sharp há 18 anos, afirmou que o seu sentimento é de esperança, pois já havia sido cadastrado em programas de governos passados, que não deram certo. “Nossa esperança é que em 2022 estejamos em um lugar melhor”, frisou.

*Com informações da assessoria

Comentários